sábado, 6 de janeiro de 2018

Em prova: Proibido à capela Tinto 2016


Começamos 2018 com a menção a um novo vinho de Márcio Lopes, um ensaio, no mínimo... curioso... Fruto de uvas de uma vinha com quase 50 anos (90%uvas tintas, 10%uvas brancas), localizada em VN Foz Côa, colhidas ao mesmo tempo, desengaçadas à mão, cujo vinho foi trasfegado a cantaro, propositadamente deixadas em vazio, para ganhar "flôr", não filtrado ou estabilizado, e engarrafado à mão, apenas com uma ligeira adição de SO2... Vinho com apenas 11º de alcool, leve mas com boa acidez e pendor gastronómico. Diferente. Em prova, atira-nos para um alvarelhão, por exemplo, ou para uma jaen, pouco extraido e com a componente mais vegetal (verde) em evidência. Um vinho produzido à moda do "Jerez", tentando replicar a fórmula. Foram produzidas 500 garrafas apenas. PVP: 18€. Garrafeiras

Sérgio Lopes

Sem comentários:

Enviar um comentário